dos regressos (e) da arte

image (2).jpeg
fotografia (1).JPG
image (1).jpeg
image.jpeg

cheguei de portugal há dois dias, a achar que devia ter ficado por lá para sempre. não é estranho nem parvoíce, diz uma amiga minha que é genuinidade. talvez. vontade é muita - Lisboa está cada vez mais bonita e as pessoas fazem-me, também, cada vez mais falta.

(sempre fizeram, mas com o passar do tempo a coisa torna-se mais 'moidora' e chatinha)

é este o síndrome (constante) de quem está (vive) longe?

não precisei pedir desculpa aos amigos por ter escolhido apenas ir para namorar. é isto que faz deles, todos, grandes, queridos, fofos, pessoas boas que me mantêm cheia de esperança.

acreditar é mais fácil quando não se está (é) sozinho.

na minha volta pela cidade, passei (não sei ao certo porque não fui antes) pelo CCB e pelo museu coleção berardo e achei que devia registar estas fotografias. 

as news dão conta de uma Lisboa cada vez mais apetecível aos turistas - verdadeiro motor económico do ano que findou, já escrevia o Expresso na última edição -, e de uma europa com salvação no luxo e na cultura.

esta. que se escreve aqui.

e em tantos outros espaços bonitos da capital. 

ps - muito interessante a secção O Consumo Feliz - Publicidade e sociedade do século XX, a que pertence o 'quadro palmolive' que vêem acima. 

Inês *