no caramulo

para algumas pessoas a páscoa tem o sabor do mel produzido na aldeia e a imagem fotográfica do gado a subir as terras, o som da água que corre um bocadinho por todo o lado. para mim, a páscoa tem sabor do folar de olhão degustado na casa de tavira; se recuar no tempo, tem o sabor a chocolate dos ovos que o meu avô paterno me oferecia na data e se o tempo me permitir voltar ainda mais atrás tem o sabor dos bolinhos de cenoura da minha avó materna na casa de Lisboa e o som dos sapatos altos - muitos - que eu, pequena, insistia em tirar da sapateira para percorrer a casa desajeitada; o que eu gostava de ir a casa da avó para lhe mexer nos brincos e pulseiras e naquela montanha de calçado! 

estes sabores diluem-se e confundem-se no tempo, mas permanecem. todos diferentes, todos especiais. 

este ano, foi ano de atribuir mais um sabor à minha páscoa. e soube bem :)

mais fotos da viagem ao #Caramulo no Instagram @ineslisboncover

não precisei de hotel, mas deixo uma sugestão de estadia muito simpática, com direito a circuito de SPA para quem queira visitar a serra num retiro wellness e/ou romântico! para comer, e uma vez que a oferta é escassa na serra, sugiro também o hotel (menus muito acessíveis) ou eventualmente uma visita a Águeda e ao mercado para compra de enchidos e broa! atividades? trekking, trekking, trekking! há caminhos assinalados por todo o lado nas aldeias e na serra. andar aqui é o mais bonito.