dos capítulos que não prevemos

 

concordam ou não que a imprevisibilidade é uma coisa boa? que do inesperado surge um reequilíbrio giro mais não seja pelo desequilíbrio que proporciona? será? quem é que diz que as prioridades que tem hoje serão as mesmas daqui a um ou dois anos? (tenho para mim que não são). quem é que sabe se aquilo que não é vivido não volta mais tarde ou não permanece para nos ir apoquentando em momentos pouco oportunos, em alturas em que afinal já sabíamos tudo e era mesmo aquilo? das suas prioridades cada um sabe. espero que o vão sabendo o melhor possível, mas lembrem-se de não saber sempre tudo nem sempre bem ;) 

imagem: pinterest