A famosa Rota das Estrelas tem início no continente nos próximos dias 20 e 21 de Abril, no restaurante Tavares, segundo a orientação do Chef Aimé Barroyer, à frente do restaurante desde 2011.  Quando assumiu o controlo da cozinha, Barroyer decidiu pôr fim à seleção exageradamente eclética dos pratos que, segundo ele, existia até então. Lembro-me de uma conversa que tivemos - na altura para um trabalho que estava a realizar - onde o chef me confidenciou que o Tavares ‘tinha de voltar a ser um espaço amado pelos portugueses. Pelos antigos, mas também pelos novos’. Porque só neste contexto a sua história faria sentido. Barroyer, uma pessoa de uma simplicidade e genuinidade contagiantes, explicou-me que por isso resolvera recuperar a tradicionalidade e misturá-la com pitadas de requinte. A ideia é chamar clientes, levá-los a experimentar e a gostar, desmistificando o conceito de que o Tavares é um restaurante de elite. Lembro-me do chef me ter dito ‘Mas quem é a elite? Se a há, garanto-lhe que não frequenta restaurantes. Tem chefs em casa. É a experiência que mo diz’.  Nesta Rota das Estrelas, o menu no Tavares será confecionado com a ajuda dos chefs Ricardo Costa (Hotel The-Yeatman), Isaac Loya (Asturias), assim como a de outros ‘amigos’. Saibam mais aqui.

A famosa Rota das Estrelas tem início no continente nos próximos dias 20 e 21 de Abril, no restaurante Tavares, segundo a orientação do Chef Aimé Barroyer, à frente do restaurante desde 2011. 

Quando assumiu o controlo da cozinha, Barroyer decidiu pôr fim à seleção exageradamente eclética dos pratos que, segundo ele, existia até então. Lembro-me de uma conversa que tivemos - na altura para um trabalho que estava a realizar - onde o chef me confidenciou que o Tavares ‘tinha de voltar a ser um espaço amado pelos portugueses. Pelos antigos, mas também pelos novos’. Porque só neste contexto a sua história faria sentido. Barroyer, uma pessoa de uma simplicidade e genuinidade contagiantes, explicou-me que por isso resolvera recuperar a tradicionalidade e misturá-la com pitadas de requinte. A ideia é chamar clientes, levá-los a experimentar e a gostar, desmistificando o conceito de que o Tavares é um restaurante de elite. Lembro-me do chef me ter dito ‘Mas quem é a elite? Se a há, garanto-lhe que não frequenta restaurantes. Tem chefs em casa. É a experiência que mo diz’. 

Nesta Rota das Estrelas, o menu no Tavares será confecionado com a ajuda dos chefs Ricardo Costa (Hotel The-Yeatman), Isaac Loya (Asturias), assim como a de outros ‘amigos’.

Saibam mais aqui.