A febre das sabrinas não é de agora. É só uma mania que fui adquirindo quando percebi que todos os sapatos de salto alto - que os tenho quase às dezenas - deixaram de me servir o dia a dia e a calçada traiçoeira (embora muuuuuito gira, está bem, é verdade e não discordo).

A febre das sabrinas conseguiu sobreviver à dos sapatos Oxford, à dos mocassins e a outras mais recentes (são algumas).

No meu caso, a febre das sabrinas é para durar toda a vida.

Não há clássico mais elegante e confortável.

Se houver, please let me know.

Estas são Betty London, na Spartoo.