Acabei um - a permanência em Itália, embora relativamente curta, fez-me interromper as leituras e só consegui pôr-lhe fim agora - e comecei outro. O da Marta, de quem já tinha falado aqui (nota: o espetáculo dela continua no S. Jorge), foi aquele a que pus fim. Com uma certa tristeza de o ter deixado, confesso. Não sei se ao livro em concreto se às lições que ele me transmitia através do auto-retrato de uma mulher em resolução - consigo e com os outros. Mas quando vi o livro da Helena numa estante da Fnac percebi que essa sensação seria rapidamente preenchida por outra de maior conforto. E não me enganei. Num primeiro texto, e na contracapa, a Helena descreve-se por intermédio da ‘filosofia do quotidiano’, que aconselha a que se escreva o que se gosta e o que se detesta num papel, e assim conseguir uma panorâmica geral do que se é. Transcrevo: Sete coisas de que gosto - da família, dos amigos, de trabalhar, de ler, de ouvir música, de silêncio, do meu amor.  Sete coisas que detesto - a mentira, a hipocrisia, a inveja, a tristeza, a estupidez, a política, a maledicência.  É por isto que eu gosto da Helena. 

Acabei um - a permanência em Itália, embora relativamente curta, fez-me interromper as leituras e só consegui pôr-lhe fim agora - e comecei outro. O da Marta, de quem já tinha falado aqui (nota: o espetáculo dela continua no S. Jorge), foi aquele a que pus fim.

Com uma certa tristeza de o ter deixado, confesso. Não sei se ao livro em concreto se às lições que ele me transmitia através do auto-retrato de uma mulher em resolução - consigo e com os outros.

Mas quando vi o livro da Helena numa estante da Fnac percebi que essa sensação seria rapidamente preenchida por outra de maior conforto. E não me enganei.

Num primeiro texto, e na contracapa, a Helena descreve-se por intermédio da ‘filosofia do quotidiano’, que aconselha a que se escreva o que se gosta e o que se detesta num papel, e assim conseguir uma panorâmica geral do que se é.

Transcrevo:

Sete coisas de que gosto - da família, dos amigos, de trabalhar, de ler, de ouvir música, de silêncio, do meu amor. 

Sete coisas que detesto - a mentira, a hipocrisia, a inveja, a tristeza, a estupidez, a política, a maledicência. 

É por isto que eu gosto da Helena.