As agendas

Ainda não encontrei A agenda para 2013. Chamem-me esquisita - às vezes sou picuinhas, chata, essas coisas; sou, pronto - mas no que toca a registar os momentos da minha vida (os ditos afazeres) gosto de escolher bem. Ter uma coisa gira para andar comigo e que me dê gozo folhear - mesmo que o que lá escreva não seja tão fantástico nem me dê imenso gozo. Mas a agenda - A agenda, desculpem - faz toda a diferença. Percebi que nas últimas limpezas cá em casa (esta semana) tinha jogado fora a do ano passado (2012). Tive pena. Vendo bem as coisas, uma agenda é quase um diário de vidas interessantes. À parte de obviamente a minha não ser um mar de rosas, não tenho grandes chatices, faço por fazer (lamento a redundância) coisas realmente interessantes, que me permitam conhecer e saber mais. E termino quase sempre o ano com a sensação de que vivi experiências espetaculares (e às vezes não têm nada de complexo…). Daqui a 10/20 anos, teria alguma piada saber quem - hipoteticamente falando, que eu não me recordo de tudo - entrevistei em Janeiro de 2012, que reportagem fiz em Fevereiro e sobre o que escrevi em Março do mesmo ano. Resta-me o tempo, e os dias, que se seguem. Já menos ativa na escrita, mas igualmente dedicada.