Balanços (de Janeiro)

Portanto, basicamente refiro-me a balanços. Estamos a meio de Janeiro, falta sensivelmente um mês - menos dois dias - para o dia dos namorados (coisa que até nem ligo assim por ali além, mas); um mês - menos um dia - para os anos de alguém muito especial; e… quando estivermos a festejar esse dia, faltará apenas metade de um mês para me despedir. Portanto, acho que, mais mês menos mês, com mais ou menos festividades à porta, pode ser a altura certa para falar um bocadinho sobre o que me vai na cabeça. Na verdade, tenho tudo - que no fundo é só a normalidade do dia a dia - para ser feliz. Família porreira com os seus altos e baixos (como toda a gente), amigos espetaculares (poucos mas bons, como na maioria dos casos); pessoas que me amam, pessoas que amo; pessoas que me fazem bem, pessoas a quem procuro fazer o melhor; pessoas que me divertem e com quem me divirto; uma casa para morar e outra para passar uns tempinhos; tempo livre para me mimar e mimar os outros; saúde que me permite ir mais além; dinheiro para mim, mas não o suficiente para manter o que é meu de direito. E é por isto que vou. Sim, adoro saber e conhecer mais. Sim, acho fantástico viver e passar por outras cidades - sei o que isso é e ADORO (mesmo). Mas, na verdade, aquilo de que realmente precisamos está quase sempre ao nosso lado. E o que mói quem vai é saber que outros valores se elevam para que estes possam permanecer.