Houve quem tenha decidido passar por Sintra, nomeadamente pela Praia das Maçãs. E houve quem, também para chegar a Sintra, lhe bastasse apenas subir o Chiado, chegar ao Largo Camões e parar aqui, na (no?) PChiado.

O folheto - que guardei ‘para um dia’ - tinha algumas referências mais ou menos importantes; conquistou-me a da Sábado, pelos motivos óbvios.

É mais um Orpheu Caffé (de que gosto bastante, entenda-se), dos muitos que recentemente se foram multiplicando pela capital. Não é novidade e não é extraordinário, mas também não desilude.

Ganha pelos travesseiros e queijadas quentinhas - quando enfrentar o trânsito não é opção para acalmar ‘aqueles’ desejos.

Giro q.b. Pessoas simpáticas. Espaço acolhedor. No largo do poeta, com o quiosque que se ilumina (só) para ele.

Estas iluminações são outras. Por ali. Também.