Não estou a tornar-me ‘betinha’ nem sequer a apelar a formalismos, mas há marcas a que, carecendo nós no dia a dia de uma imagem mais ou menos clássica, nos convém recorrer. Neste caso - acho - ‘a coisa’ ultrapassa a conveniência. 
 O pólo Lacoste é um clássico (sabemo-lo bem). Que, para muitos, já perdeu a graça (é quase obsoleto), mas que a mim - mais agora, desde que há um português nesta casa - continua a cativar. 
 Apetece-me um coordenado moderno que quebre a formalidade sem perder a elegância. Misturar Lacoste com low cost, por exemplo. Padrões. Texturas. Cortes. Qualquer coisa diferente e inesperada.   
 Ainda não sei exatamente como nem quando, mas tenho pensado fazê-lo chegar ao meu armário. 
 A culpa disto não é minha. É (só) do Felipe (Oliveira Baptista). 
 Que me fez querer reinventar a Lacoste por intermédio da minha humilde pessoa.     
 Imagem: Lacoste loja online. 

Não estou a tornar-me ‘betinha’ nem sequer a apelar a formalismos, mas há marcas a que, carecendo nós no dia a dia de uma imagem mais ou menos clássica, nos convém recorrer. Neste caso - acho - ‘a coisa’ ultrapassa a conveniência.

O pólo Lacoste é um clássico (sabemo-lo bem). Que, para muitos, já perdeu a graça (é quase obsoleto), mas que a mim - mais agora, desde que há um português nesta casa - continua a cativar.

Apetece-me um coordenado moderno que quebre a formalidade sem perder a elegância. Misturar Lacoste com low cost, por exemplo. Padrões. Texturas. Cortes. Qualquer coisa diferente e inesperada.  

Ainda não sei exatamente como nem quando, mas tenho pensado fazê-lo chegar ao meu armário.

A culpa disto não é minha. É (só) do Felipe (Oliveira Baptista).

Que me fez querer reinventar a Lacoste por intermédio da minha humilde pessoa.    

Imagem: Lacoste loja online.