Ontem passei pelo El Corte Inglés para assistir à apresentação deste livro. Não me moveu propriamente o autor - não tenho nada contra o Fernando Póvoas, mas sinceramente não o conheço bem e não sou, como outros, cliente dele (não me importava de o ser, obviamente). Fui pela Helena (Sacadura Cabral). Aliás, corrijo: fui pela Helena e porque o título do livro me motivou a ir - também sou da opinião de que devemos sempre, independentemente dos nossos afazeres ou do pouco tempo que possamos ter, reservar pelo menos 10 minutos por dia para cuidar de nós. Foi mais isto. A Helena (Sacadura Cabral) apresentou a obra e tal como eu previra não desanimou ninguém. Pelo contrário, contagiou-nos com o humor e a habitual boa disposição. Segundo ela, este é um livro que não fala de dietas, mas que dá conselhos úteis de bem estar (muito mais abrangente) e que está dividido por meses - porque as nossas carências (alimentares, sociais, etc) variam, também, no tempo e de acordo com as estações/períodos do ano. Devemos, portanto, lê-lo assim. Por mês. O Fernando elogiou a Helena, emocionou-se ao falar dela e terminou o discurso (mais ou menos) dizendo que não saberia apontar-lhe um único defeito. Afinal, TODOS gostavam dela. Ao que a Helena, genuína e habilmente como só ela, respondeu: ‘Tenho um defeito. Sou mãe do Paulo Portas’. Seguiram-se os risos e as palmas. Uma ovação às suas palavras.      

Ontem passei pelo El Corte Inglés para assistir à apresentação deste livro. Não me moveu propriamente o autor - não tenho nada contra o Fernando Póvoas, mas sinceramente não o conheço bem e não sou, como outros, cliente dele (não me importava de o ser, obviamente). Fui pela Helena (Sacadura Cabral). Aliás, corrijo: fui pela Helena e porque o título do livro me motivou a ir - também sou da opinião de que devemos sempre, independentemente dos nossos afazeres ou do pouco tempo que possamos ter, reservar pelo menos 10 minutos por dia para cuidar de nós. Foi mais isto. A Helena (Sacadura Cabral) apresentou a obra e tal como eu previra não desanimou ninguém. Pelo contrário, contagiou-nos com o humor e a habitual boa disposição. Segundo ela, este é um livro que não fala de dietas, mas que dá conselhos úteis de bem estar (muito mais abrangente) e que está dividido por meses - porque as nossas carências (alimentares, sociais, etc) variam, também, no tempo e de acordo com as estações/períodos do ano. Devemos, portanto, lê-lo assim. Por mês. O Fernando elogiou a Helena, emocionou-se ao falar dela e terminou o discurso (mais ou menos) dizendo que não saberia apontar-lhe um único defeito. Afinal, TODOS gostavam dela. Ao que a Helena, genuína e habilmente como só ela, respondeu: ‘Tenho um defeito. Sou mãe do Paulo Portas’. Seguiram-se os risos e as palmas. Uma ovação às suas palavras.