Para os que procuram trabalho (aqui encontram)

Há sempre alguém mais à frente. E pena que teimemos em não ser nós. Povo, nação, Portugal. O trabalho do futuro será certamente aquele que gentilmente nos foi dado (também) a conhecer pelo orador que esteve ontem na RTP1; a mesma pessoa que abriu o grupo no facebook ’Empregos no Brasil para estrangeiros’ e se encontra ligado a uma série de projetos. Um ‘colega’ da Católica, que lá conta regressar no dia 25 deste mês, para falar precisamente de Emprego | no Brasil | para estrangeiros. O site guru.com (o mencionado) já tem uma adaptação ‘aportuguesada da coisa’ (a dedução é minha): trabalhadoresindependentes.com. Pouco conhecido, quiçá mal divulgado. Certo é que é só lamentável que certas empresas portuguesas não tenham ainda despertado para esta realidade. Assim se perdem pessoas e oportunidades, pelo disparate (vs. exigência) da presença. E assim vão as mentalidades. E assim (também) se mede a pequenez dos que foram feitos para decidir. A mim, sempre me fez confusão estar num trabalho onde me sobrasse tempo. Porque o trabalho deve ser rentável. E se sobra tempo, então devemo-lo canalizar para outro trabalho. Afinal, tempo é dinheiro. E perder tempo é basicamente perder dinheiro. Resta-nos aguardar mais 10 anos até que a ’evolução’ do guru leve a sociedade civil (portuguesa) a questionar o seu funcionamento no mercado. Ou será que o meu ‘colega’ (com quem não cheguei nunca a cruzar-me), já terá iniciado o processo? Parabéns a si e um (mais um e novamente merecido) elogio à universidade pelos valores, exigência e rigor exímios. Somos mais críticos, e muito menos acostumados, por lá termos estado. Tenho a certeza.