Retrospetiva #2

No final de 2012, propagaram-se um sem fim de retrospetivas deste ano que então terminava. A começar pelo facebook e a terminar em blogs pessoais - das mais vastas áreas - e até jornais.

Foi uma espécie de ‘o ano em imagens’, que até agora não me tinha apetecido ‘copiar’ - sim, já não é senão uma cópia de tantos outros; nada original.

Mas ontem pus-me a organizar documentos e imagens no pc - e só eu sei há quanto tempo precisava MESMO de fazer isto - e percebi que, entre altos e baixos, momentos mais ou menos brilhantes, tenho sido uma privilegiada.

Não apenas em 2012 - aliás, muito pouco em 2012 - mas ao longo dos anos.

Foram pessoas que chegaram, outras que infelizmente partiram - por força da natureza ou por vontade própria; subscrevendo as palavras de Sancha Trindade, percebi ‘quem nos piores momentos virou as costas por só estar habituado ao lado brilhante da vida’.

Fui eu que, aos poucos, consegui sempre aquilo que queria. Às vezes foi muito trabalho, outras simplesmente sorte - também precisamos dela. Envolvi-me em projetos interessantes, conheci pessoas diferentes, originais, inspiradoras.

Esgotei (quase) sempre todas as possibilidades e portanto nada poderia ter sido diferente - o que é bom saber e sentir.

A vida retribuiu-me com generosidade, mas acho até, e muito sinceramente, que foi mérito da generosidade com que sempre lidei com os outros - embora às vezes pouco condescendente, é certo.

Talvez tenha sido efetivamente isso que 2012 me trouxe: mais calma e condescendência. Uma maior perceção dos outros e de mim. E a aprendizagem de que seremos sempre o que quisermos, independentemente do que o passado, na suas mais fantásticas aventuras, já escreveu de nós.

Estas imagens vão desde o ano de 2005 ao de 2012. (e faltam tantas…!)