Um amigo quis entreter-se e dar-me este (e outros) ‘presentes’. Aqui fica, fruto do seu trabalho sempre brilhante. Na verdade, acho que percebemos tarde (em certos casos demais) o quão versáteis podemos ser, sem que isso nos link [preconceito] a nada menos bom. Há pouco tempo li, numa passagem de um dos três livros que costumo ter numa mesa junto à cama [se a contagem não for esta é porque alguém se apoderou deles, podem crer], que ‘uma das coisas dos espíritos livres é que nos ensinam a ser espíritos livres’. (esta) ideia de liberdade não está, contrariamente à conotação habitual, relacionada com total desprendimento de laços ou afeto, mas à desvalorização do que não é, de todo, importante - vulgo preconceito. Estúpido sentido de pensar - pior: sentir - com a cabeça dos outros. A liberdade chega da perceção de que devemos ir onde queremos ir e estar onde queremos estar. O resto é conversa - que se lixe. 

Um amigo quis entreter-se e dar-me este (e outros) ‘presentes’.

Aqui fica, fruto do seu trabalho sempre brilhante.

Na verdade, acho que percebemos tarde (em certos casos demais) o quão versáteis podemos ser, sem que isso nos link [preconceito] a nada menos bom.

Há pouco tempo li, numa passagem de um dos três livros que costumo ter numa mesa junto à cama [se a contagem não for esta é porque alguém se apoderou deles, podem crer], que ‘uma das coisas dos espíritos livres é que nos ensinam a ser espíritos livres’.

(esta) ideia de liberdade não está, contrariamente à conotação habitual, relacionada com total desprendimento de laços ou afeto, mas à desvalorização do que não é, de todo, importante - vulgo preconceito. Estúpido sentido de pensar - pior: sentir - com a cabeça dos outros.

A liberdade chega da perceção de que devemos ir onde queremos ir e estar onde queremos estar.

O resto é conversa - que se lixe.